19/05/16 | 11:26
Oficinas de Arteterapia traz benefícios a idosos

 

Foto: Assessoria FDT

Os idosos do Programa de Longa Permanência da Fundação Dr. Thomas estão participando de atividades lúdicas relacionadas aos mais diversos tipos de arte que têm a função de estimular e incentivar o lazer, despertar o lado artístico e auxiliar para melhorar suas habilidades motoras. É a arteterapia, serviço que já vinha sendo realizado pelos setores de Psicologia, Serviço Social e Promeapi e que, recentemente, forma incorporados pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre o Envelhecimento em Manaus (Nepem).

Atualmente a casa conta com 110 idosos, dentre eles 29 que são independentes e participam ativamente da arteterapia. Os idosos com grau de dependência maior têm atividades artísticas mais adaptadas às suas necessidades.

O musicista Antônio José da Silva Alves, professor responsável pelas aulas, conta que a ideia de trabalhar com a pintura surgiu por causa de uma das idosas. “Como ela não se adaptava às oficinas de música, canto ou poesia, decidi procurar outra atividade que fosse prazerosa e onde ela pudesse socializar com os outros idosos”. A ideia deu certo e atraiu a atenção de outros participantes. “Cada idoso tem um estilo preferencial de pintar, com alguns eu trabalho com aquarela e com outros trabalhos o sombreado”, explica.

Estudos revelam que o desenho e a pintura melhoram a coordenação motora, capacidade de organização, oferecem equilíbrio das emoções e proporcionam paz e relaxamento aos idosos. “Os benefícios apresentados foram inúmeros, além da melhora na socialização dos idosos e na coordenação motora, o humor também teve uma boa mudança. Já é possível perceber essas melhoras em todos os idosos que participam desse projeto.”

Os elogios que recebem pelos trabalhos feitos são muito importantes para aumentar a autoestima dos participantes do projeto. “Quando recebem elogios pelos trabalhos feitos, os idosos se sentem bem, eles se sentem envaidecidos ao ter seu trabalho reconhecido e isso faz com que o empenho nas próximas pinturas seja ainda maior”, comenta o professor Antônio Alves.

A idosa Elza Nogueira, 73, conta que adora as aulas de pintura. “Eu adoro pintar, uso diferentes cores, pincéis e minha mão ficou mais firme depois que comecei a pintar e meus quadros melhoraram muito.”

Georgete Fernandes, 90, residente na casa há mais de 15 anos, vinha apresentando sérios problemas de memória, com crises de esquecimento, após participar das aulas de pintura passou a sentir melhoras nesse ponto. “Me sinto mais relaxada, melhorei a memória e comecei a me sentir mais tranquila. Não esqueço mais as coisas como antes. É muito bom ter um espaço para deixar a criatividade fluir.”

Foto: Assessoria FDT

A diretora presidente da Fundação, Martha Moutinho, diz que é importante buscar sempre diferentes meios para socializar o idoso no meio em que vive. “A socialização é imprescindível para manter o idoso feliz e bem disposto, para isso, estamos sempre buscando novos meios de integrar esse idoso no meio em que convive.”

Assessoria de Comunicação da Fundação de Apoio ao Idoso Doutor Thomas: 98842-2990