02/10/14 | 20:28
Na Semana do Idoso, Doutor Thomas tem exemplo de superação

Garantir os direitos sociais cumprindo a Política Municipal do Idoso é o trabalho da Fundação Doutor Thomas (FDT), que nesta quinta-feira, 02, recebeu o prefeito Arthur Virgílio Neto, em visita aos idosos da instituição. Em meio aos internos, ele chamou a atenção para um problema cada vez mais crescente: a violência domiciliar contra pessoas da terceira idade.

Na Semana Nacional do Idoso, o prefeito enfatizou o trabalho da FDT para a recuperação e ressocialização daqueles que foram, principalmente, vítimas de maus-tratos.

“É triste quando nos deparamos com casos de violência contra idosos. Muitos estão relacionados a questões econômicas. Quando o idoso é o provedor de uma família, ele acaba sendo melhor tratado, mas quando ele não é, acaba ficando sem a atenção merecida. A fundação recebe muitos casos assim e ajuda na recuperação e reintegração desse idosos à sociedade“, explicou o prefeito.

Exemplo é o industriário aposentado, José Bernardino da Silva, de 73 anos, que após ser vítima da violência doméstica foi levado às dependências da fundação por determinação judicial expedida pela 8ª Vara de Família.

A medida de proteção foi motivada pelo estado em que se encontrava o idoso, totalmente debilitado, fazendo uso de cadeira de rodas e desorientado em relação à realidade.

“Quando cheguei aqui eu pensei que era o meu fim. Não queria aceitar a ideia de que eu ia morrer esquecido e tão pouco entendia como havia chegado naquela situação, pois sempre fui cheio de vida”, lembrou o aposentado.

Na Fundação Doutor Thomas, Bernardino recebeu toda a atenção profissional  e pouco tempo depois seu quadro foi melhorando, como explica a nutricionista Maria Alice Albuquerque.

“Todos os internos são exigentes quanto à alimentação. Por isso, preparamos um cardápio adequado dentro da restrição de cada um. Para o paciente Bernardino não foi diferente, pois ele chegou até nós muito debilitado fisicamente, mas com o acompanhamento nutricional, ele conseguiu se livrar da cadeira de rodas em três semanas”, explicou.

Bernardino contou que seu reencontro com a realidade se deu na sala de fisioterapia, onde recuperou seus movimentos e fortaleceu seu corpo para voltar às atividades do cotidiano.

“Eu acordava às 4 da manhã e ia direto para a bicicleta ergométrica. Às 8h, quando o fisioterapeuta chegava, eu já estava suado com o exercício. Ele me brigava por não esperá-lo, mas eu queria recuperar minha vitalidade”, lembra o aposentado.

Virada

Para se recuperar totalmente e retomar as atividades, José Bernardino ficou cerca de um ano na FDT. Nesse período, fez muitos amigos e percebeu o quanto os familiares esquecem os idosos internos na fundação.

“Muito triste ver que alguns internos aqui não recebem visitas e são sucateados por seus familiares. Por isso faço um apelo aos que possuem parentes aqui. Venham, visitem, valorizem e não os esqueçam”, pediu o aposentado.

Totalmente revigorado, José Bernardino, voltou às atividades normais e além de reencontrar a saúde e a dignidade, ele ainda encontrou o amor. Sua atual esposa, Regina, foi umas das pessoas que o ajudou no processo de recuperação.

“Sempre tive fé que venceria esse problema, por isso fui recompensado. Hoje, estou bem casado, dirigindo de novo meu automóvel e vivendo dignamente de novo. Tudo graças ao apoio que encontrei na Fundação Doutor Thomas. Se morresse agora, morreria muito feliz”, finalizou, esbanjando um largo sorriso de satisfação.

Reportagem: Ulysses Marcondes

Fotos: Arlesson Sicsú e Alex Pazuello